Gestão Avançar na Luta

REDES SOCIAIS

16 de Dezembro de 2017 | Sábado

Paralisação na DAT Sul será de 48 horas, dias 27 e 28 de novembro


Compartilhe

Boletim 1619 - Salvador, 21 de novembro de 2017

Já está tudo preparado para a paralisação de 48 horas na DAT Sul, na segunda (27) e terça (28). O movimento marca a retomada da mobilização dos fazendários, com uma paralisação de 48 horas em todos os postos fiscais vinculados a essa diretoria da Sefaz, bem como em todos os SACs e postos de atendimento das inspetorias.

Diferente do que aconteceu em outubro, agora a paralisação será geral, de 48 horas, em todos os postos fiscais - Jaime Baleeiro (Urandi-Divisa BA-MG), Benito Gama (Vitória da Conquista), Bahia-Goiás (BR 020/Km 314-Correntina), Eduardo Freire (Mucuri-Divisa BA/ES), Alberto Santana (Argolo-Divisa BA/MG) e Bahia-Piauí (Formosa do Rio Preto) – e nos SACs e inspetorias das cidades de Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brumado, Eunápolis, Guanambi, Ilhéus, Itabuna, Itamaraju, Itapetinga, Jequié, Luís Eduardo Magalhães, Porto Seguro, Santa Maria da Vitória, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista.

Este movimento segue o novo calendário de lutas e ações definidos na última assembleia, realizada no dia 26 de outubro, em frente ao prédio-sede, em Salvador. É fundamental a participação de todos os colegas. Os que trabalham em Unidades Móveis de Fiscalização, fiscalização de Estabelecimentos, na Malha Antecipa e na fiscalização de ITD devem suspender suas atividades e se dirigirem aos postos fiscais ou aos SACs, para fortalecer o movimento nestes locais. Os colegas do grupo TAD e do Fisco não devem realizar agendamento para os dois dias, nem atender aos contribuintes. Nos postos deve-se evitar parar o s caminhões.

MOVIMENTO É FORTE

O Sindsefaz tem avaliado como positivo o nosso movimento, que é crescente, mobiliza boa parte de nossa categoria e tem incomodado a Sefaz, além de criado debate no governo. Diferente do que se tenta passar ao governador e à sociedade, não vai tudo as mil maravilhas na Secretaria da Fazenda. E as paralisações servem para desmistificar isso.

Sabemos e estamos mostrando em nossa luta que o quadro é de desestímulo e desânimo, com uma relação de trabalho ruim, sobrecarga, condições inadequadas, equipamentos obsoletos, congelamento salarial, planejamento precário da fiscalização. Tudo isso provocando queda de arrecadação e prejuízo a Bahia e aos baianos.

Portanto, o momento é de manter a bandeira levantada e aumentar a pressão até que negociações efetivas sejam abertas em torno de nossas reivindicações imediatas: GDF dos técnicos, concurso público, correção da indenização de transporte e mudança no valor do ponto. E um movimento com 100% de adesão na DAT Sul vai contribuir decisivamente para alcançarmos este objetivo.

À luta fazendários. 

Sindsefaz,
Avançar na Luta